Blog da ESSOR

Museus e obras de artes: preservar a memória para construir o futuro

Museus e obras de artes: preservar a memória para construir o futuro

18 de maio de 2022

Muito mais do que um caminho em direção ao passado, museus comunicam sobre a memória de uma nação, a trajetória de construção e desenvolvimento de uma sociedade. Neste Dia Internacional dos Museus, data criada pelo Conselho Internacional dos Museus (ICOM), ressaltamos a importância dessas instituições como mantenedoras da memória e do patrimônio cultural, assim como a necessidade de preservação de seus acervos, garantindo que os museus cumpram seu papel de, não apenas, salvaguardar obras, mas de informar e educar a sociedade em geral.

“Um povo sem memória é um povo sem história” a frase da historiadora brasileira Emília Viotti da Costa, muito veiculada em anos recentes, dimensiona a necessidade de assegurar a proteção não só do espaço, mas, principalmente, das obras que compõem seu acervo. Obras de arte, independentemente do formato, exercem função artística e prática, uma vez que são representações pictóricas de uma época e do seu contexto social.

Seguro Obras de Arte

Muitas obras de artes já foram perdidas na história da humanidade, como devemos lembrar do incêndio no Museu Nacional, em 2018, e do ocorrido no Museu de Arte Moderna de Nova York (MoMa), em 1958, em que uma obra do pintor francês Claude Monet foi perdida nas chamas.

Nessas situações, em que não só danos estruturais podem causar prejuízos irreversíveis, mas também ocasiões de transporte, entre outros eventos, é preciso minimizar os riscos para os acervos de museus e garantir a segurança das peças. Para isso, conhecimento especializado e experiência no mercado faz a diferença na hora de elaborar e gerir um seguro exclusivo para obras de arte.

O Seguro Obras de Arte ESSOR possui a curadoria, ou subscrição, da museóloga Ana Maria Soares Guerra Notari, que atua há 15 anos com seguros voltados para obras de arte e possui experiência em logística para exposições e gestão de museus. “Ter gente qualificada para compreender, faz toda a diferença quando o assunto é obra de arte. Cada detalhe do transporte das peças, por exemplo, tem que ser supervisionado e existem transportadoras especializadas no Brasil.  Algumas obras não podem ser abertas em trânsito, em razão da temperatura que precisa ser mantida para não haver danos na tela, por exemplo”, destaca.

Com expertise e conhecimento de mercado, a ESSOR desenvolveu um seguro “All Risks”, com cobertura para todos os riscos que a obra pode ser exposta, seja roubo ou dano, entre outros.

Convidamos a todos os corretores de seguros para que conheçam o produto ESSOR e aproveitem o conhecimento técnico e experiência da especialista parceira.

Compartilhar via:

Posts Relacionados

Turismo: uma importante cadeia para a nossa economia
03/11/2017

Turismo: uma importante cadeia para a nossa e...

O turismo é uma das grandes forças da economia no Brasil. Como mostra uma projeção do […]

Leia mais...
A retomada gradual da Construção Civil
26/09/2018

A retomada gradual da Construção Civil

A indústria da Construção Civil do Espírito Santo tem o que comemorar neste ano. De janeiro […]

Leia mais...